Quinta-feira, 25 de Junho de 2009

O Presidente da República, Cavaco Silva, recebeu ontem os partidos com assento parlamentar para decidir sobre a data de realização das eleições legislativas. Como sabem, quase todos os partidos querem que as eleições autárquicas se realizem em dias separados. O argumento é o eleitorado não confundir os interesses locais com os nacionais. Por exemplo, pode haver alguém que queira ver Francisco Louçã como primeiro-ministro, mas na sua autarquia prefira o candidato do CDS. Segundo a lógica partidária, o eleitor, que é uma besta preguiçosa, é capaz de se enganar e votar no Louçã para autarca e no Paulo Portas para primeiro-ministro. Ou poderá votar duas vezes num deles para ambos os cargos. Ou também, porque não percebe o acto eleitoral, por ser a besta preguiçosa antes referida, pode votar para protestar contra o autarca na eleição legislativa e contra o PS nas autárquicas. É tramado. Eu sei que o PSD é o único partido que, apesar disso ou precisamente por isso, está a favor de ambos os actos eleitorais acontecerem no mesmo dia. Não sou do PSD, nem alguma vez serei, mas concordo agora só por uma questão de dinheiro. Esclareço que não me pagaram para dizer isto. Cada acto eleitoral custa ao Estado dez milhões de euros. Não sei quanto gastam os partidos nem os meios de comunicação com a cobertura das campanhas. Também não sei quanto custam as sondagens semanais nem os dias que não se trabalha para se cumprirem os deveres dos militantes, nem os outros custos inerentes a toda campanha eleitoral. Mas não deve ser pouco. Imaginemos que seja, por baixo, mais uns dez milhões. Vinte milhões é muito menos do que nos vai custar o BPN, mas não é pouco. O Dr. Almeida Santos disse que a democracia é demasiado importante para nos preocuparmos com os custos financeiros eleitorais. A frase é bonita, mas também se pode dizer o mesmo do Serviço Nacional da Saúde, das forças de segurança, dos tribunais, do desemprego, e assim por diante. Sendo a situação económica do país alarmante, não seria descabido poupar alguma coisinha. Claro que o problema de sermos eleitores bestas e preguiçosos dificulta as coisas. Mas não temos outro povo, e é sabido que quem não tem cão, vota com gato. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:22
Comentar

Comentários:
De Fulano a 26 de Junho de 2009 às 16:44
Ide ao serviço de urgências do hospital de Faro e experimentai a LIBERDADE !


De TestaFC a 26 de Junho de 2009 às 17:09
O wrestling Online regressou!
Visita: http://wrestlingonline.blogs.sapo.pt/


De maria do mar a 26 de Junho de 2009 às 18:10
os destaques têm destas coisas... tenho vindo aqui desde há três dias e prometo voltar. rio-me de cada vez e faz-me bem o sarcasmo sem agressividade...
bom blogue. continuem.


De Bigornas a 26 de Junho de 2009 às 19:24
Antes ser pobre do que comuna!


Comentar post

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO