Sexta-feira, 15 de Fevereiro de 2008
Oiçam esta notícia maravilhosa: "Primeiro transplante de rim entre marido e mulher é um 'avanço' na área", diz Eduardo Barroso. Para começar, observemos que quem afirma que o tal transplante é um avanço é o Dr. Barroso, que na semana passada reconheceu ter ganho – e continuar a ganhar – uma pipa de massa por incentivar a realização de transplantes. Suponho que sempre que assiste a um transplante, o Dr. Barroso deve dizer "já cá canta mais um", "o Mercedes já está pago", "Querida, vamos ao Hawai" ou "ainda bem que já estava de olho no Bentley". Mas, pronto, ainda bem para o Barroso o futuro da medicina em geral. Continuemos com a notícia: "Primeiro transplante entre marido e mulher". Eu não sabia que isso não se podia fazer isso com a própria mulher. Não é que eu já o tenha feito. Mas como sempre estamos a experimentar coisa novas, mais cedo ou mais tarde, se calhar, numa noite de Verão, a minha mulher e eu éramos bem capazes de chegar aí. Quando li a notícia mais detalhadamente, percebi que esse tipo de transplante nunca antes tinha sido feito, não por ser pecado, mas por causa das seguradoras. Não queriam cobrir o risco do dador. E agora voltamos ao princípio. O tal grande "avanço" de que falava o Barroso, não era por causa da própria operação. Foi porque agora a seguradoras abriram um novo incentivo para os incentivadores de transplantes. Fico feliz por eles. Como diz aquela publicidade: "há coisas fantásticas, não há?" Fora isso, tudo bem.


Publicada por Carlos Quevedo às 21:40
Comentar

Comentários:
De baruch a 18 de Fevereiro de 2008 às 00:23
Com esta lei dos incentivos monetários ao número de transplantes, o Dr. Eduardo Barroso tem na calha uma técnica ainda mais revolucionária que esta do transplante entre cônjugues: o transplante de rins entre intrapessoal. Por exempplo: "Ai senhor doutor, doi-me aqui o rim direito". O gajo vai e tranplanta o rim direito para o lado esquerdo e o esquerdo para o lado direito e saca mais 5000 euros. Depois, quando o paciente volta à consulta a queixar-se que agora lhe doi o rim esquerdo o Dr Eduardo Barroso terá o técnica ideal para resolver esse problema em portugal, por acaso uma técnica nova. enfim, isto já não é cedo e o Rui Santos não se cala nem por nada. Conseguiu descobrir que o golo do Benfica foi obtido em falta (o Bynia terá levantado um pé na altura do lançamento lateral para a area da naval)... eh pá, quem descobre isto merece um transplante de borla.

maradona


Comentar post

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO