Quinta-feira, 22 de Abril de 2010

Começou a primeira "Conferência Mundial das Mudanças Climáticas e dos Povos da Mãe Terra". É uma cimeira alternativa convocada pelo presidente da Bolívia. Além de Evo Morales estarão Chavez, Ortega e toda a malta da esquerda sul-americana. Acredito que muitos dos ambientalistas, vegetarianos, activistas antiglobalização e artistas vão lá estar presentes e, por uma vez, não vão levar porrada. O problema é que começou mal com o discurso de abertura do Presidente da Bolívia. Evo Morales apresentou duas teorias que exemplificam os malefícios da cultura ocidental. Acredita que as hormonas femininas que dão aos frangos transgénicos provocam distúrbios orgânicos nas mulheres e homossexualidade nos homens. Segundo ele, a prova está à vista: é grande a quantidade de homossexuais que há na Europa e nos países capitalistas desenvolvidos. É um argumento forte mas então temos de explicar a homossexualidade em países não totalmente desenvolvidos como o Brasil ou a Argentina, onde a comunidade gay não é pequena. Depois temos o Caribe, a Tailândia, as Filipinas. Enfim, a teoria tem os seus pontos fracos. Até pode sugerir que um vegetariano nunca seria homossexual quando o povo português pensa exactamente o contrário. Também não explica as lésbicas. Se as hormonas são femininas, elas deviam estar constantemente apaixonadas pelo homem mais à mão. Outra incongruência teórica é que a calvície também seria provocada pela efeminização dos homens. Morales quer é promover o homem boliviano como exemplo de masculinidade. O outro alarme dado pelo Presidente boliviano é que os recipientes de plástico são um veneno exportado pelos mesmos países que estão cheios de bichas. É mais um veneno capitalista. Cheira-me que Evo Morales quer politizar esta conferência. Não sei de onde terá tirado a ideia de que os encontros sobre o ambiente podem ser utilizados para fins políticos. Que raio de ideia. Tenho pena que as televisões não transmitam esta conferência em directo, como fizeram com a de Copenhaga. Os convidados prometem discursos bombásticos. E esta gente é tão competitiva que podemos esperar uma luta sem quartel para ver quem ganha o prémio Apocalipse. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:33
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO