Segunda-feira, 10 de Maio de 2010

Ali Agca, que tentou assassinar João Paulo II em 1981, escreveu, há cerca de dois meses, ao Governo português, a pedir autorização para acompanhar a visita do Papa Bento XVI ao País. Depois de uma primeira resposta do gabinete do primeiro-ministro, José Sócrates, anunciando que iria debater a questão junto das autoridades competentes, Ali Agca não recebeu mais nenhum contacto do Governo português. Os ministérios dos Negócios Estrangeiros e da Administração Interna não comentaram o assunto. É evidente que o turco Ali foi mais uma vítima da burocracia portuguesa. Se se tivesse informado melhor, qualquer português lhe teria dito que dois meses é pouco para qualquer documento. Nem sequer era preciso perguntar-lhe o motivo da viajem do turco Agca. Por outro lado, às vezes a burocracia não é cega. É um tanto suspeito que o homem que tentou assassinar João Paulo II quisesse visitar Fátima, logo agora que Bento XVI, o seu sucessor, decide vir. Pronto, já cumpriu uma pena de 29 anos, mas não nos enganemos: o homem não regula bem. Já para não falar das suas últimas declarações em que insinuava uma megalomania patológica e um fascínio por se exibir nada saudáveis. Segundo o advogado do ex-fracassado magnicida, Ali abandonou o islamismo, converteu-se ao catolicismo e tem uma grande fé na Nossa Senhora de Fátima. Não percebo como é que essas características o podem ajudar a conseguir um visto de entrada em Portugal. Acreditar na Nossa Senhora de Fátima não é lá muito original no nosso pais. Ter-se convertido ao catolicismo também não impressiona num país maioritariamente católico como o nosso. Isto para não dizer que temos as prisões cheias de delinquentes católicos, não há poucos à solta nas ruas e nem sabemos quantos temos nos gabinetes e escritórios do nosso pais. É por isso que não é surpreendente que tenhamos menos criminosos islâmicos que cristãos. Para nós, uma pessoa declarar-se católica não é garantia de nada. Já os conhecemos de trás para a frente. Mas voltando ao Ali Agca, tenho pena de por uma vez o Serviço de Estrangeiros não ter respondido ao turco com uma clara interdição de visitar Portugal nestes dias. Quem raio acha o homem que é? Uma estrela, um profeta com más críticas na imprensa? Se sair hoje a pé de Istambul, é capaz de chegar lá para o 13 de Maio do próximo ano. Para quem tem uma Fé como a dele, não é nada. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:53
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO