Quarta-feira, 4 de Agosto de 2010

O presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad, propôs um diálogo "cara a cara" com o seu homólogo norte-americano, Barack Obama, para falar de "questões mundiais". Esta iniciativa veio a propósito da provável deslocação de Mahmud em Setembro a Nova Iorque para participar na Assembleia-geral das Nações Unidas. Ahmadinejad afirmou estar "pronto para se sentar com Obama, cara a cara, de homem para homem, para falar livremente de questões mundiais à frente dos 'media' para ver a melhor solução". E acrescentou: "somos a favor do diálogo, mas de maneira lógica". É, sem dúvida, um avanço. Até porque com audácia diplomática exige um diálogo de maneira lógica. Fartos estamos todos de diálogos surrealistas do estilo:

- Estão a construir uma central nuclear?

- Sim.

- Estão a fazer uma bomba atómica?

- Não.

- Podemos ver?

- Não, mas continuamos a querer apagar Israel do mapa.

Penso que uma conversa "de homem para homem" com Ahmadinejad é teoricamente mais segura que uma conversa nos mesmos termos com Vladimir Putin. O líder russo é um karateka, ex-KGB, um homem de acção. Obama, embora seja ele próprio um desportista consumado, não teria hipótese nenhuma. Mahmud é pequenino, nervoso, exaltado. Estou a imaginar Obama, do alto dos seu metro e oitenta e cinco, a esticar o braço e a segurar a cabeça com a mão, enquanto Ahmadinejad dá socos no ar. Com Putin, esta técnica estaria fora de questão. Em princípio, Obama pode aceitar com segurança um diálogo com o iraniano. Num esforço desesperado para ir para a cama com setenta virgens e assim se tornar um herói no seu país, há sempre o perigo de aparecer com um colete com explosivos. Contudo, é pouco provável. Apesar de os serviços secretos americanos já não serem o que foram, duvido que passasse despercebido. Seja como for, sabemos que um encontro destes seria impossível. É uma ideia infantil do pequeno iraniano. Ainda por cima, uma das exigências é fazer o encontro na presença dos media. Tinha mais hipóteses se tivesse proposto uma noite de sexo louco a Angelina Jolie e impusesse como condição ser transmitido em directo para Teerão. Este Mahmud é um sonhador. Fora isso, tudo bem.  



Publicada por Carlos Quevedo às 23:18
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO