Segunda-feira, 9 de Agosto de 2010

Li que um realizador de cinema português chamado Miguel Gonçalves Mendes apresentou na noite de sábado na Feira Literária Internacional de Paraty o documentário José & Pilar. Dito com as palavras que os jornalistas gostam de usar, fez “duras críticas ao presidente Aníbal Cavaco Silva pela sua postura em relação ao Prémio Nobel de Literatura José Saramago”. Na verdade, chamar idiota ao presidente ou a outro magistrado não é o que habitualmente entendo como uma crítica, dura ou não. Por outro lado, não duvido do direito de chamar idiota seja a quem for. Eu próprio já tenho chamado idiota a muitos, bons ou maus idiotas, e nunca como crítica dura, mas para sintetizar as propriedades intrínsecas da pessoa ou da acção por ela cometida. No caso do nosso presidente não julgo que a idiotice seja uma característica particularmente sua, mas vivemos, graças a Deus, numa democracia. Contudo, discordo de o acto de não ter ido ao enterro de Saramago ser uma prova. Segundo este realizador, “o nosso presidente, que é um idiota, não foi ao enterro”. Penso que só um idiota teria ido ao enterro de alguém com que se incompatibilizou durante tanto tempo. Ainda mais, se tivesse ido, o putativo idiota teria estragado o último momento em que uma pessoa é, ou deve ser, a única estrela desta particular circunstância. Nada nos deve distrair do morto. Tudo o que tente ganhar mais atenção que o morto é uma profanação. Se Cavaco tivesse ido ao enterro teria ofuscado o estrelato de Saramago no seu próprio funeral. O tal cineasta não se despega muito da possibilidade de também ele ser chamado idiota. Como se fosse preciso, até Pilar del Rio afirmou que foi tudo como devia ser e que qualquer outra alternativa podia ser interpretada como hipócrita. A viúva do escritor está a viver com dignidade a sua viuvez. Poderá ter herdado os direitos de autor mas não tenciona herdar os inimigos do seu defunto esposo. Claro que com amigos como o Gonçalves, vou ali e já venho. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:00
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO