Quinta-feira, 16 de Setembro de 2010

As decisões que saíram do plenário dos órgãos sociais do Benfica pareceram-me, no início, muito severas. Minutos depois, mudei de opinião. Vamos supor que a indignação e a fúria são justificadas. Vamos pôr de parte a realidade que é a de que vai sempre haver alguém a queixar-se das arbitragens. Mas suponhamos que sim senhor, há um complô contra o Benfica. Exigir uma posição do chefe dos árbitros é normal. Que se renegoceiem os direitos televisivos, é bom para qualquer clube (dentro da lógica que se falam mal, devem pagar mais, claro). Pedir que se investiguem policialmente os apedrejamentos é o mínimo que se pode pedir à Polícia. Já isso dos adeptos não irem aos jogos a que o Benfica vai como visitante parece-me injusto e idiota. Injusto para os adeptos que vivem longe de Lisboa e que só podem ver a sua equipa quando vão à terra. Idiota porque os adeptos dos clubes grandes até agradecem. Menos custos em segurança, mais lugares para os da casa e menos alento anímico para os jogadores benfiquistas. Por outro lado, só prejudica financeiramente os pequenos clubes e não compreendo como isto pode melhorar as arbitragens. Já para não dizer que o pior para qualquer negócio é não ter clientes, neste caso espectadores. Se o Benfica quer retaliar ou marcar a sua posição de protesto tem de tomar medidas mais radicais. Recusar-se a jogar a Taça da Liga é uma boa medida. Se quiserem levar a indignação até ao extremo podiam recusar participar na Taça de Portugal e até mesmo no campeonato deste ano e jogar só na Champions. Mas, claro, isto pode trazer consequências irremediáveis. Sugiro que a direcção do clube mantenha a calma e que se queixe só pelos canais pertinentes da Federação. Não é grande coisa, concordo, mas é mais sensato. Seja como for, proponho que não sejam paranóicos. Há incompetentes em tudo quanto é sítio. Por que carga de água não havia de haver incompetentes ou dias piores para os árbitros de futebol? Até no campeonato do mundo na África do Sul houve árbitros incapazes ou acordados do lado errado da cama. Achavam que em Portugal era melhor? Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:21
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO