Quarta-feira, 27 de Outubro de 2010

As prostitutas que trabalham numa estrada da Catalunha, perto da cidade de Lleida, foram obrigadas a usar colete reflector para se tornarem visíveis ao tráfego, evitando o risco de acidente e uma multa de 40 euros. Felizmente, há mulheres a quem tudo fica bem e não duvido de que muitas delas tirarão partido desta vestimenta obrigatória. No entanto, os catalães devem estar a viver momentos de angústia ontológica. A prostituição foi proibida recentemente pela câmara municipal da cidade. Por outro lado, sempre que alguém vir uma mulher com um colete reflector à beira da estrada, saberá que está diante de uma prostituta. Mas estando essa profissão proibida essa pessoa estará a deixar-se levar pelo preconceito. Isto pode levar a que as prostitutas não utilizem os coletes para não serem identificadas como tal e assim, além de sujeitas a pagar a multa, estariam a pôr as suas vidas em perigo. Ou pode acontecer o contrário, e as mulheres honestas com um problema no carro, podem recusar-se a utilizar o colete para não serem confundidas com as trabalhadoras do sexo. Neste caso, podem ter de pagar uma multa por infracção ao código da estrada, e, ainda por cima, ser detidas e acusadas de prostituição. Num caso assim, com certeza a detenção seria agravada com o desrespeito pela autoridade e resistência à polícia. Nenhuma mulher honesta aceitaria pacificamente ser tratada como uma prostituta. Por sua vez, uma profissional desta actividade, podia ter chegado à esta mesma conclusão e não utilizar o colete reflector como prova evidente de que não é uma prostituta. Senão, obviamente, tê-lo-ia posto. É uma situação tramada. Claro que alguma solução deverá ser encontrada para que mulheres inocentes não sejam confundidas com prostitutas nem prostitutas com mulheres honestas. Se calhar, é hora de inventar coletes com cores diferentes, que identificassem a profissão das transeuntes. Ou proibir as mulheres não profissionalizadas de usar o colete com decotes proeminentes, sapatos de salto alto e minissaia. Outra possibilidade é anular uma das duas leis: ou proíbem a prostituição ou a utilização de coletes reflectores por mulheres sozinhas na estrada. Parece muito complicado, mas é o problema de sempre: segurança ou liberdade. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:17
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO