Sexta-feira, 29 de Outubro de 2010

Freud fez uma pergunta que ainda ninguém conseguiu responder: o que querem as mulheres? Claro que se pode responder com gracinhas mas respondê-la a sério e com valor universal é mais difícil. Esta referência psicanalítica vem a propósito do anúncio da recandidatura do nosso Presidente. O verbo, neste caso, devia ser substituído por “poder”. O que pode fazer um Presidente da República portuguesa? Neste momento discute-se muito o significado da expressão que Cavaco utilizou: magistratura activa. Os politólogos concordam que é uma expressão enigmática porque os poderes presidenciais estão definidos pela constituição e foram exercidos com rigor pelos sucessivos presidentes, inclusive Cavaco Silva. O professor da Universidade de Aveiro, Carlos Jalali, adianta que o poder tribunício é o único que pode ser explorado. Quer dizer, que Cavaco, no caso de ganhar as próximas eleições, poderá falar mais do que falou na sua anterior magistratura. Para mim faz todo o sentido, embora não veja como. Cavaco Silva nunca se caracterizou por falar muito. Isto suscita-me dúvidas quanto à possibilidade de termos um Cavaco mais expressivo, loquaz, extrovertido e afável. Por outro lado, isto das eleições presidenciais tem algo de errado, quase esquizofrénico. Ao contrário dos candidatos a primeiro-ministro, os presidenciais prometem sempre aquilo que sabemos não poderem constitucionalmente cumprir. Um presidente pouco pode fazer para combater o desemprego, mudar a economia, castigar os maus ou premiar os bons. Um candidato a primeiro-ministro pode fazer promessas que terá a capacidade de cumprir ou esquecer. Mas ante a dúvida, os eleitores acreditam ou não. Com um futuro presidente, sabemos que a realização das suas promessas pouco ou nada tem que ver nem com as suas capacidades nem com os seus desejos. Até podem prometer o paraíso na terra. O certo é que só podem tentar ser respeitosos, dialogantes e levemente antagónicos ou cúmplices dos governos com os quais convivem. Ante a pergunta pseudo-freudiana, o que pode fazer um presidente da república, a resposta em linguagem oficial é salvaguardar o bom funcionamento das instituições. Ou em bom português, nada, zero, népia. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:50
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO