Quarta-feira, 8 de Dezembro de 2010

Concordo que Portugal está desiludido novamente com o lugar atribuído ao ministro das Finanças, Fernando Teixeira dos Santos pelo Financial Times. Vamos esquecer a má vontade do jornal, que é óbvia. Ter ficado em 16.º lugar entre 19 não é bonito. Também não é despicienda a percentagem de culpa que deve ser repartida entre as pressões de que o homem foi alvo. Por um lado, tinha o optimismo incurável do primeiro-ministro e por outro, a conspiração dos mercados, da Europa e do mundo em geral contra Portugal. Gostava de saber o que teria feito aquele que ficou em primeiro, que por sinal, foi Wolfgang Schaubel, o ministro alemão das finanças. De certeza que a primeira coisa que faria era mandar invadir os mercados, depois a Europa e, por fim, o mundo. O Teixeira nem sequer podia recuperar Olivença. Aliás, estrategicamente, nunca é recomendável abrir outra frente de batalha. Não se pode invadir seja o que for sem antes chegar a acordo sobre o aumento do IVA, os salários dos professores e sossegar os funcionários públicos extremamente zangados. Nós sabemos que o Teixeira fez o que pôde e aquilo que pode não é pouco. Para já, ficou acima da ministra espanhola, Elena Salgado, que ficou atrás, salvo seja, num penoso 17.º lugar. Felizmente para nós, este ranking não foi um concurso de beleza. Se fosse, o nosso ficava em último lugar, ex-aequo com o ministro das Finanças holandês, Kees De Jager. Curiosamente o ministro grego, George Papaconstantinou ficou em 8.º lugar. Mas por mais que o justifiquem por ter sido o mais drástico e eficaz nas medidas tomadas, a mim não me enganam. A Grécia estava nas lonas. Qualquer grego que aparecesse nas reuniões com a Merkel ia para obedecer. Mais que nunca, devemos mostrar nestes dias difíceis que o povo está unido contra os analistas tendenciosos. Devemos fazer uma manifestação de apoio ao Teixeira. Pode estar no 16.º lugar da Europa mas é o primeiro nos nossos pensamentos. Nunca te esqueceremos Teixeira. Mesmo que os PECs todos juntos não sirvam para nada sabemos que tentaste o teu melhor. Gostamos de ti, Teixeira, não te deprimas. Para o ano é que eles vão ver o que é bom para a tosse. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:16
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO