Quarta-feira, 23 de Abril de 2008

Agora todas as pessoas estão de acordo. Manuela Ferreira Leite é o homem certo para o PSD. E eu concordo. Concordo não só por causa da masculinidade desta ex-ministra do cosmopolita Durão Barroso mas sobretudo porque vai realizar, quer ela queira quer não, uma mudança radical no partido. Se a ex-ministra ganhar as eleições internas, a mudança mais visível para o povo será a ausência de populismo. Deixará de haver diatribes e acusações pessoais. O 24 horas já não terá manchetes do tipo “Na sé do PSD houve uma rave na noite passada” ou “Cunha socialista?: Sobrinho do primeiro-ministro convocado por Scolari ao Euro 2008”. Não, acabou-se a mama laranja para o jornalismo sensacionalista. Agora vai ser tudo mais sério. Se querem risadas, então vão ter de coscuvilhar nas crónicas de Vital Moreira. Para aqueles que, como eu, vivem a vida política a partir do sofá, também se acabou a festa. Pacheco Pereira vai de ter de falar bem do PSD para espanto dos seus colegas da Quadratura do Círculo. Já não vão ter a papinha feita como dantes. O mesmo vai acontecer com Marcelo Rebelo de Sousa. O efeito na opinião pública desta reviravolta dos conhecidos comentadores social-democratas é um mistério. Mas, claro está, na condição de Manuela Ferreira Leite ganhar. Ainda não sabemos quem serão os outros candidatos e o PSD está cheio de personalidades fascinantes como Marco António amigo-de-Menezes Costa ou Rui Gomes Fernanda-Câncio da Silva. O mês de Maio promete. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:19
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO