Terça-feira, 20 de Maio de 2008

Nem tudo está perdido. Há gente que nos inveja. É uma sensação nova. O vice-presidente do Governo Autónomo da Catalunha, Josep Lluis Carod-Rovira disse que a Catalunha é como Portugal mas sem a Restauração. E que Espanha ainda não assumiu a nossa independência. Compreendo os ciúmes de Rovira mas nem por isso aceito a comparação. Para já a famosa Restauração realizada pelos nossos ancestrais aconteceu um pouco à custa de nos negarmos a colaborar na repressão da revolta dos catalães. Nós não temos a culpa de no século dez e sete termos sido mais competentes, mais espertos e mais bem sucedidos do que os catalães, que também tentaram a sua sorte naquela altura. Em contrapartida, a Catalunha é agora mais competente e mais bem sucedida do que nós. No entanto, precisam do nosso apoio. Tarde demais. Estamos noutros tempos. Eles podem tentar a fórmula que está a dar agora. A fórmula Kosovo, que consiste em declarar a independência unilateralmente, em vez de nos pedir ajuda. Nós temos negócios com Espanha. Independentemente de serem bons ou maus negócios, pelo menos negociamos com ela e não estamos por aí a fazer queixinhas. No caso de ser necessário pedir ajuda ou fazer queixinhas, vamos a Bruxelas que é mais normal e civilizado. Só nos faltava agora que o Cazaquistão viesse dizer que a Rússia é para eles como foi a Espanha para nós! A segunda observação de Rovira, que a Espanha não assumiu a nossa independência, é ridícula. Se há coisa que a Espanha agradece é que nós sejamos independentes. Reparem que nem os independentistas bascos recorrem a nós. Os galegos flirtam connosco mas ficam lá, e os andaluzes preferem ser os mais pobres das províncias espanholas a serem os mais ricos do Algarve. A Catalunha deve rever a sua política de alianças. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:47
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO