Terça-feira, 27 de Maio de 2008

Nestes dias, desculpem, nesta vida actual, os estudos de opinião e as sondagens tornaram-se o verdadeiro quinto poder. Não me perguntem quais são os outros quatro porque já não me lembro. Continuemos. O jornalismo com os seus comentadores, eu incluído, não é já o que foi. Felizmente, para todos eles, eu incluído, estes estudos e sondagens são tão pouco importantes como em tempos gloriosos foi o jornalismo e os seus comentadores, grupo em que novamente me incluo. As eleições internas no PSD são literalmente o ganha-pão de todas essas telefónicas e estatísticas cabeças. As certezas que nos dão são inacreditáveis. Por exemplo: quem podia imaginar que Manuela Ferreira Leite era a candidata mais séria e respeitável? Nem que tivéssemos uma second life, ou mesmo terceira life, teríamos chegado a esta conclusão imprevisível. Podemos tornar a coisa mais interessante e apostar o décimo terceiro mês que o segundo candidato mais perigoso se chama Pedro. Ora deixa cá ver as sondagens… Pois, ganhamos. Nem sempre as sondagens são tão fáceis de antecipar. Ontem li no Diário Digital um estudo feito pela Growth for Knowledge que afirmava que, embora os portugueses gostem muito de sopa, descobriram que no Verão o consumo desce consideravelmente. Imaginem que só uns 43% continuam a comer sopa nos meses de calor contra cerca de 70% que não prescindem dela no Inverno. As pessoas que fazem o estudo, que devem ser finlandesas, ficaram ainda mais confusas quando 90% dos inqueridos reconheceram que sabem que a sopa é fundamental numa alimentação saudável. É por causa de estudos como este que pessoas como Patinha Antão não desistem de ser candidatos à liderança do maior partido da oposição. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:31
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO