Quarta-feira, 28 de Maio de 2008

O escândalo da estadia em Portugal, com a detenção de Jean-Pierre Bemba em Bruxelas, não é nenhum escândalo. Resumidamente pode dizer-se que o Ministério dos Negócios Estrangeiros fizeram aquilo que lhes competia e que foi facilitar a entrada em Portugal de Bemba, por conselho de diversos organismos internacionais. O Ministério da Administração Interna também fez o que devia: avaliou se o homem precisava de segurança especial ou não. Precisava. Na sexta-feira passada foi emitido o mandado de captura. Em Portugal as sextas-feiras contam como se fossem Sábado. Era normal que se esperasse até segunda-feira para saber se Bemba podia receber os agentes da autoridade para efectuar a sua detenção. Mas Bemba, que será africano mas não é estúpido, decidiu estupidamente viajar via Bruxelas vai-se lá saber para onde. Foi ali apanhado, mais precisamente no sex-shop do duty-free do aeroporto. O único problema desta história, além da veneração dos portugueses pelos fins-de-semana prolongados, foi que os Negócios Estrangeiros não sabiam o que é que os tipos da Administração Interna tinham feito para facilitar a estadia do nosso ilustre e talvez criminoso visitante. Dali advêm todas as respostas ignorantes e contraditórias do Ministro Luis Amado mas mal penteado. No fundo tudo foi um exemplo de falta de comunicação entre ambos os ministérios. Com o atenuante óbvio: coisas como esta não podem acontecer no fim-de-semana. Espero que este episódio lembre os nossos representantes na União Europeia, Tribunal Penal Internacional incluído, de exigir que nada de urgente que tenha que ver com Portugal se decida depois de quinta-feira. Perdão, quarta-feira é mais seguro. Na Sexta, não dá. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:44
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO