Terça-feira, 10 de Junho de 2008

Ainda é notícia a aproximação de Manuel Alegre ao Bloco de Esquerda. Ninguém, nem sequer no Partido Socialista, pode se sentir surpreendido com este namoro. "Namoro" é uma fórmula muito utilizada pelos políticos quando começam a fazer engates ideológicos. Mas não é só o PS que tem um adúltero na família. Sá Fernandes, vereador na Câmara Municipal de Lisboa com os votos dos bloquistas, também anda na marmelada com o PS. Não vou discutir os motivos ideológicos que movem estas donzelas a terem encontros amorosos com famílias rivais. Só espero que não acabem envenenados como Julieta Capuleto. No entanto, de um ponto de vista puramente maternal, gostaria de aconselhar estas namoradeiras. No caso de Manuel Alegre percebo a atracção física pelo Romeu de Esquerda. È jovem, romântico, impetuoso cheio de princípios e ávido de reconhecimento. Mas, rapariga, pensa em como será o teu futuro com alguém sem maioria nem dinheiro. Ó Manuel, não te apresses. Não deites fora tantos anos de segurança na tua aconchegada bancada por, vá-se lá saber, um futuro instável cheio de conflitos e problemas com a tua família que tanto carinho te deu. Agora tu, Sá Fernandes. Tens razão. O Bloco já deu o que tinha a dar. Compreendo que, cansada de tantas discussões, queiras ter uma relação mais saudável e adulta com alguém mais experimentado e rico. Acho bem, embora te avise que é um bocadinho tarde demais. Os próximos tempos avizinham-se difíceis. O barril de petróleo e as taxas dos juros vão continuar a subir. No melhor dos casos terás, claro, um lugarzinho na bancada parlamentar. Não penses que algum dia te vão dar a Câmara. Ó Sá Fernandes, vê lá bem o que é que queres. Podes perder os holofotes e perder-te na imensidade da Assembleia. Mas seja qual for a vossa decisão, contem sempre comigo. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:39
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO