Quarta-feira, 18 de Junho de 2008

Li no Diário de Notícias que até 2011, mais de 50 mil casais homossexuais da Califórnia irão casar naquele estado que começou a celebrar casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Foi a pensar neste estudo da Universidade da Califórnia, em Los Angeles, que hotéis, empresas de catering e floristas já começaram a preparar ofertas especiais para gays. Devemos incluir as casas especializadas em listas de casamento. O negócio ligado a estas uniões vai arrecadar quase 700 milhões de dólares em três anos para a economia daquele estado norte-americano. Duvido que no nosso país os partidos políticos portugueses, que tão assanhadamente defendem os casamentos entre pessoas do mesmo sexo, tenham pensado no negócio a desenvolver em Portugal. Pela minha parte, e apesar das estatísticas, eu acredito no casamento. Não tenho nenhuma objecção nem aos casamentos entre os homossexuais nem ao negócio que tal incremento festivo pode trazer à vida portuguesa. Por outro lado, estou em pulgas para começar a ouvir piadas sobre o marido, a esposa ou a sogra de uma perspectiva gay. Provavelmente não serão sobre sogras mas sobre sogros. "Filho, o teu marido é um bêbado" ou "filha, tu merecias uma mulher de verdade". Enfim, estou a simplificar. Os maridos e mulheres heterossexuais têm muitos séculos de avanço nisso de nos rirmos desta sagrada instituição. É normal que as nossas piadas sejam muito mais sofisticadas. Eles e elas tem muitas desculpas a inventar e ainda muitos divórcios a sofrer para competir com a nossa secular ironia matrimonial. Entretanto, dou as boas-vindas aos empresários com iniciativa neste grande negócio que se avizinha. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:38
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO