Terça-feira, 1 de Janeiro de 2008
Este ano a lei de proibição de fumar nos lugares públicos entrou em força. Lei com a qual não concordo pela simples razão de que se eu fosse proprietário de uma tasca, por exemplo, acharia que era direito meu escolher os meus clientes. Não gosto de fumadores, então não permito que fumem e o contrário também faz sentido. A saúde pública não é para aqui chamada. Esta é apenas uma questão de propriedade privada e de deveres e garantias individuais. Mas pronto, a lei já está feita e o sindicato de fumadores não fez nada contra. Agora quando soube que, ainda por cima, o tabaco vai aumentar e não vai ser pouco, uma luz surgiu na minha cabeça. Espera lá, disse cá para mim. Dificultam o consumo e ainda encarecem o produto? E foi assim que percebi tudo. Os carros fazem mal ao ambiente e à saúde pública e estão cada vez mais caros, certo? O imposto automotor também vai aumentar. As portagens também. A gasolina, bem, nem vale a pena lembrar-vos a que preço está agora e nem queiram saber a que preço estará ao fim do ano, certo? Isto é encarecer o produto. Estacionar em Lisboa custa uma fortuna se concretizar a proeza de arranjar um lugar. O objectivo é desencorajar as pessoas a utilizar o carro, percebem? Estão a fazer aos fumadores o que já fazem aos automobilistas. O objectivo final é muito claro para mim. Comprar poucos cigarros e fumar só em casa. Comprar um carro e deixá-lo na garagem. É um plano genial para resolver os problemas do ambiente.


Publicada por Carlos Quevedo às 22:43
Comentar

Comentários:
De Dobra a 12 de Janeiro de 2008 às 17:05
O objectivo é, julgo, manipular as massas ao ponto de as deixar sem pensar. Exagerada? Talvez.Parabéns pelo blog.


Comentar post

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO