Quinta-feira, 5 de Março de 2009

Sei que no mundo há actividades de alto risco. Obviamente ser bombista suicida está em primeiro lugar. Também não é seguro ser adúltera e viver no Afeganistão, ter uma irmã que namore com Ronaldo, ser um pequeno depositante no BPN ou noutro qualquer banco português, e assim por diante. Há agora mais uma ocupação de alto risco que se distingue pela sua perigosidade, ainda que por vezes muito lucrativa, que é ser governante em África. Embora haja quem se tenha safado muito bem, como os lendários canibais Iddi Amin Dada e Bokassa, não é muito normal chegar à reforma confortável como eles conseguiram. Parece um dado adquirido que a história dos países africanos é totalmente indiferente aos olhos do resto do mundo. Por uma vez, não é só a indiferença do Ocidente mas mesmo de todos, chineses e o resto incluídos. Honestamente, não faço ideia das qualidades que possa ter tido Nino Vieira, mas não pude deixar de reparar como foi processada a notícia do seu assassínio. Primeiro, soubemos que tinha sido morto. Depois, tivemos o esclarecimento com carácter de urgência de que não se tratava de um golpe de Estado. Que alivio. Era apenas um acto de vingança. Então, está bem. Mais tarde soubemos que foi primeiro ferido e logo rematado à catanada. Que selvagens. Por trás de tudo isto há uma história de tráfico de drogas em que ninguém está inocente. Pois, tinha de acabar mal. Entretanto, o presidente da Assembleia Nacional Popular de Bissau, Raimundo Pereira, que constitucionalmente é o sucessor interino de Nino Vieira, promete fazer um inquérito e castigar os culpados. Tudo muito civilizado e anormalmente pacífico. Admito que não estou habituado. Mas fico descansado por saber que não foi nem um golpe de estado nem um conflito de etnias rivais nem religioso. Foi apenas um assassínio. Contudo, pergunto-me porque ninguém se interessa por África. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:54
Comentar

Comentários:
De ana cristina leonardo a 10 de Março de 2009 às 23:36
grande texto!


Comentar post

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO