Terça-feira, 24 de Março de 2009

As poucas pessoas que me conhecem intimamente sabem que sou um homem de princípios e que não temo levantar a minha voz, erguer a minha pena ou o meu teclado para os defender. Nunca me sinto tão motivado para isso como quando vejo ameaçados os direitos das crianças ou a liberdade individual das mulheres. É sobre elas que neste momento ergo o meu teclado e escrevo com indignação. Li que no estado de Nova Jersey, o mítico lar de Frank Sinatra, dos Sopranos e do hospital onde trabalha o Dr. House, estão a pensar em proibir a «brasilian wax», que é como quem diz a depilação «à brasileira», devido a várias queixas de danos sofridos após esta depilação radical. Por motivos óbvios não vou dar pormenores sobre este tipo de tratamento de beleza. Também, por razões de imparcialidade profissional, não vou revelar se sou ou não admirador deste estilo depilativo. No entanto, não posso esconder o meu desencanto contra este atentado à livre escolha a que qualquer mulher deve ter direito. Muito menos quando vem do governo de um estado com tanta história e que faz parte dum país conhecido pela suas liberdades individuais e as suas respectivas emendas constitucionais. Conheço portugueses que não só apoiam a possibilidade desta proibição como querem que seja seguida pelo nosso governo. Acho escandaloso. Qualquer tipo de alopécia natural ou artificial não pode ser condenada. Os homens têm de perceber que eles podem ser as próximas vítimas desta discriminação. Suponhamos que um semi-careca como o Diogo Feio do CDS apanha uma infecção porque quer ser um careca completo e estar mais à moda. Isto não pode ser motivo para que se proíba a calvície estética e artificialmente induzida. Aqueles que gostem de muita capilaridade e que achem que quando mais farfalhuda melhor, não podem obrigar o resto da humanidade a ter os mesmos gostos. Espero que os governantes daquele estado americano oiçam este apelo antes de provocarem alguma calamidade imprevisível. Assim como sabemos que o bater das asas duma borboleta na China pode provocar um furacão na longínqua Florida, não sabemos como acaba a proibição da depilação integral, ou à brasileira, em Nova Jersey. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:47
Comentar

Comentários:
De Ana Cristina Leonardo a 25 de Março de 2009 às 12:28
se isto se passasse no tempo do Courbet... corríamos o risco de não termos tido Courbet


Comentar post

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO