Segunda-feira, 18 de Fevereiro de 2008
O secretário-geral do Partido Socialista, José Sócrates, reuniu-se com mais de cem professores socialistas na sede do Partido Socialista. Mas foi o primeiro-ministro José Sócrates a comentar que não governa para obter simpatias nem para o benefício de uma corporação. Até aqui tudo bem. Já temos maturidade democrática suficiente para perceber que é natural que qualquer político a partir de certa idade, ou quando fizer parte do governo, tenha dupla personalidade. Na rua estavam umas dezenas de professores aparentemente não socialistas a protestar e a vaiar o primeiro-ministro, mas poupando, como é elementar no jogo democrático, Sócrates, o secretário-geral dos socialistas. No entanto, foi o mesmo secretário-geral Sócrates que se insurgiu contra esta manifestação inédita na história, em que militantes de outros partidos se manifestaram numa sede partidária que não fosse a própria. O primeiro-ministro tentou acalmar o secretário-geral do Partido Socialista invocando a liberdade de o povo português se manifestar, mas sem sucesso. Para mim, este incidente é normal. Só não percebi os professores que se forem manifestar. Nenhum deles sabia que organismo sindical ou quem os tinha convocado. Todos tinham recebido um SMS anónimo para se irem manifestar à porta da sede dos socialistas. A minha pergunta é seguinte: alguém pode confiar a educação dos nossos filhos a professores que obedecem a um SMS anónimo? Eu não. Mas fora isso, tudo bem.


Publicada por Carlos Quevedo às 23:10
Comentar

Comentários:
De AFONSO ALVES a 1 de Março de 2008 às 17:55
Muita sagaz seus comentarios.
ironico e interressante.


De Carlos Santos a 3 de Março de 2008 às 11:20
Em primeiro lugar, os SMS não eram anónimos... Mas sim de colegas que os enviavam uns aos outros... Tendo começado num e envolvido uitosoutros...
Em segundo lugar, ou o senhor não tem filhos ou, então, terá de os educar em casa;
Em terceiro lugar, não sei o que será mais "estúpido": se o seguir um convite enviado por SMS de um amigo... se o opinar sobre coisas que não conhecemos.
passe bem!


Comentar post

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO