Sexta-feira, 22 de Maio de 2009

Entre os muitos projectos jornalísticos que tenho na gaveta, há um que acarinho especialmente. Trata-se de uma enciclopédia de informações inúteis. Sei que é um propósito ciclópico. Ainda tenho algumas dúvidas de como o organizar. Não sei se por datas, por ordem crescente de inutilidade ou alfabeticamente. Enquanto me decido, parece-me adequado apresentar-vos alguns exemplos. A guerrilha tâmil foi finalmente derrotada no Sri Lanka pelas forças cingalesas. O herói cingalês é o general Sarath Fonseka. Apesar do nome Sarath, é um homem. Um jornal matutino invoca a ascendência portuguesa deste guerreiro. Obviamente Fonseka, com kapa é de origem portuguesa, embora a letra kapa indique que os seus antepassados tenham provavelmente vivido na Polónia ou num outro país eslavo onde a utilização da letra kapa é abundante. Qual é a utilidade desta informação, perguntam vocês e pergunto eu. Suponho que se eu fosse um português de origem tâmil, ia odiar o meu parentesco. Mas se fosse português de origem cingalesa, até era capaz de pagar uma rodada de chamuças. Mas seja como for eis um exemplo de uma informação que não serve nem como tema de conversa num velório. Outro exemplo electrizante. Uma nova biografia de Francisco Franco revela que este ditador espanhol tinha um só testículo. Mas o mais apaixonante desta descoberta é que também faltava um a Adolfo Hitler. Incrível! A ideologia está relacionada com a quantidade de testículos? Ainda não se sabe. É provável que sim. Há uma corrente científica que pretende demonstrar que há uma relação proporcional entre as tendências democráticas de um indivíduo e quantidade de atributos masculinos. Quanto menos tenham, menos gostam de eleições. Quanto mais, mais democráticos são os líderes. Ainda não há provas, mas provavelmente, Mahatma Gandhi, Winston Curchill, Tancredo Neves, Roosevelt e Olof Palmer tinham pelo menos três testículos. Só vos digo que com informações destas somos capazes de mudar o mundo. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:55
Comentar

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO