Quinta-feira, 18 de Junho de 2009

Tenho um fraco pelas pessoas criativas que conseguem vender coisas que não nos fazem falta. John Pemberton foi talvez o maior do seu género. Este homem inventou a Coca-Cola. Tinha como objectivo fazer uma bebida medicinal. Para resumir, o homem morreu mas o liquido continuou a vender e, embora a fórmula tradicional tenha sido alterada no início do século passado, por leis que achavam que a coca podia ser associada ao seu derivado tóxico, vingou. Eis um grande negócio. A Coca-Cola ficou com a fama e aumentou o proveito. Não sei quem inventou a água engarrafada, mas logo a seguir a Pemberton, só podem ter sido uns génios. As empresas de consultoria seja do que for são sucedâneos de Pemberton. Quero dizer que inventam coisas de que ninguém precisa. Li ontem num jornal que uma dessas empresas de consultoria, neste caso, financeira afirmou que o jogador argentino Messi valeria mais 34 milhões que o Ronaldo. Não digo que não, até pode ser. Embora não comprasse nem um nem o outro, acho possível. No entanto, não concordo com os parâmetros usados para valorizar um jogador. Idade, tempo de jogo, número de golos, experiência, convocatórias para a selecção, nomeações para prémios, expulsões, e todas essas informações que qualquer aficionado pode chegar a saber e valorizar, não me convencem. Aliás, não foram divulgados mais nenhuns parâmetros. A inovação destes consultores é valorizar cada um deles em percentagens mas isso não explica o segredo da excelência particular desta gente. Ser solteiro e feliz é melhor que ser casado e infeliz? E ao contrário? Ter filhos distrai ou ajuda? É pior gostar da pinga ou de comer? Ser um deslumbrado é mais motivante que ser conservador? Quanto é que vale um jogador que fez votos de castidade? Um mulherengo gosta ou não gosta de mulheres? Persignar-se ao entrar no campo de jogo mostra a religiosidade do jogador ou o seu paganismo? O que é melhor? Estes parâmetros podem ser aplicados por uma rapariga casadoira? Como se valoriza um jogador de futebol, caso seja homossexual? Vale mais ou vale menos? Estou cheio de dúvidas. Felizmente, existem consultorias que me podem ajudar. Fora isso, tudo bem.



Publicada por Carlos Quevedo às 23:45
Comentar

Comentários:
De Cláudia Oliveira a 19 de Junho de 2009 às 14:29
Respiro de alivio


Comentar post

Arquivo do blogue
Subscrever feeds
blogs SAPO